Maria e as mulheres

Maria é exemplo de verdadeira mulher a ser seguido, diz padre

No Dia Internacional da Mulher e tendo como contexto o Ano Mariano, padre elenca as características de Maria que são exemplo para a mulher de hoje

Monique Coutinho
Da redação

Desde 1975, a Organização das Nações Unidas (ONU) definiu o dia 8 de março como o Dia Internacional da Mulher. A data recorda o caminho sofrido de lutas pelos seus direitos e também o resultado das conquistas alcançadas por elas.

Muitas mulheres se tornaram ícones e exemplos a serem seguidos, mas uma delas se destaca: Maria, a mãe de Jesus. Nessa última reportagem da série “Mulher”, o foco são os exemplos que Maria traz para a mulher de hoje. Em especial nesse Ano Mariano, vivido pela Igreja católica no Brasil, é forte o convite a contemplar a vida de Maria, que segundo o padre Moisés Coelho, da Comunidade Obra de Maria, é um grande exemplo de mulher a ser seguido.

formacao_salve-maria-600x319

Foto: Arquivos Canção Nova

“Maria como mulher, mãe e esposa ensina muito, começando pela fidelidade. Ela foi fiel e toda mulher precisa ser fiel àquilo que Deus tem dado para ela. Maria foi aquela que cuidou de Jesus na sua totalidade de mãe, que doou-se, que amou e que zelou pelo filho. Isso ensina muito às mães no tempo de hoje. A mulher precisa aprender a se colocar no tempo de Deus. É preciso olharmos para as virtudes da Virgem Maria, para que possamos ser humildes, ter confiança, pureza, simplicidade e humildade”, diz.

Leia também as outras duas reportagens da série “Mulher”
.: Ginecologista dá dicas de cuidados para a saúde feminina
.: Em tempos de crise, mãe conta como prepara chegada do 1º bebê

Virtudes de Maria

O sacerdote afirma que Maria foi uma mulher plena e cheia de virtudes, mas que quatro se destacam: a obediência, a humildade, a fé e a pureza.

“Ela foi obediente ao plano da salvação e isso fez com que ela permanecesse em pé diante do projeto de Deus. A humildade como outra virtude é o que de mais belo Maria traz, porque ela sempre soube seu papel e quem ela era, ela também sabia que era totalmente dependente e que sua dependência de Deus, dentro do plano de salvação, fazia com que realmente tudo acontecesse na vontade Dele; Maria também foi fiel à sua verdade, pois tinha consciência que era humana e fraca, porque passou por sofrimentos e dores, mas não perdeu a fé, que foi o seu sustento diante das dificuldades”, afirma.

Reflexo de Maria nos dias atuais

Ziza Pereira e família / Foto: Arquivo Pessoal

Apesar de ter vivido a mais de dois mil anos atrás, tais virtudes de Nossa Senhora ainda refletem na vida de mulheres nos dias atuais. A Elzirene Pereira, membro da Comunidade Canção Nova, testemunha que Maria a ensina ser batalhadora diante de tantas lutas e sofrimentos.

“Ela, com toda sua singeleza, tinha uma fortaleza interior inigualável. Essa força vinha do seu relacionamento com Deus. É essa fortaleza que somos chamadas a buscar em uma sociedade em que os valores estão cada vez mais invertidos. Maria é aquela que tem um olhar de esperança diante da dor e do sofrimento. Ela nunca perde a confiança, porque sabe em quem colocou a sua. Nós mulheres somos chamadas a ser sinal da esperança e da fortaleza que vem de Deus”, acrescenta.

Leia mais
.: Papa: no mundo “órfão”, Maria é mãe que acompanha e defende 
.: Quem é Maria Santíssima?

A missionária observa que Nossa Senhora sempre teve uma presença discreta, porém forte, em sua vida.

“Desde pequena minha mãe me ensinava a confiar em sua intercessão e a cultivar uma devoção de filha. Trago pra minha vida hoje esse relacionamento de uma filha que sabe que tem com quem contar. Recorro a ela nos momentos difíceis, mas caminho com ela no ordinário, nas coisas simples. Sei que ela está aqui do meu, me acompanhando e cuidando dos detalhes. Ela é uma mãe, que cuida dos detalhes. Essa é a beleza de sua simplicidade, não espera grandes coisas para se fazer presente”, diz Ziza.

Valor da maternidade

Além de ser a escolhida por Deus para conceber Jesus e dar luz à Vida, não se deve esquecer que Nossa Senhora também foi filha, irmã, dona de casa, esposa, mulher e por fim, mãe, e como tal, o padre Moisés afirma que ela passa o verdadeiro valor da dignidade da maternidade.

“Porque Nossa Senhora se doou por inteira a Jesus, ou seja, acompanhou os passos do filho. Até o último momento Maria esteva com Ele. Vemos muitas mães que deixam os filhos à mercê da educação das pessoas, e não estão ali presentes, ensinando, acompanhando. Mãe é estar presente”, acrescenta.

Para assemelhar-se à Mãe de Jesus e alcançar tais virtudes, o sacerdote diz que não existe nenhuma receita, mas indica uma atitude principal: estar à disposição de Deus.

“O que fazer para ser como Maria? Não existe uma receita como regra, mas existe uma verdade principal com a qual a mulher pode se aproximar da Virgem: estar à disposição de Deus. O que se deve fazer para ser como Maria é estar à disposição de Deus e permitir que Ele realize Seu plano”, conclui.

↑ topo